Levar ou não o gato de férias

Levar ou não o gato de férias

As férias são um dos períodos mais desejados pelos seres humanos. Trata-se de tempo destinado ao descanso e à descontracção. Contudo, para os pequenos felinos, a situação é diferente.

Quer o gato viaje com os seus donos, ou fique entregue a alguma instituição ou pessoa de confiança, este é um momento de alguma instabilidade e stress.

Assim, a escolha tem de se basear em factores como o tempo e o tipo de férias.

Quando é decidido que se pretende partilhar as férias com o amigo de quatro patas, existem algumas informações importantes, que se devem conhecer. Um gato não gosta de viajar. O ambiente, que rodeia o felino, é desconhecido, o que o torna inseguro e, consequentemente com medo.

Um felino assustado pode ter reacções desagradáveis sendo, por isso, recomendado o uso de uma transportadora.

Mesmo os gatos mais calmos podem ter uma reacção agressiva perante uma travagem brusca ou uma buzinadela.

Assim, mesmo quando o animal mia incessantemente, não deve ser retirado da caixa de transporte.

É importante que nunca deixe o pequeno felino sozinho, dentro do carro, onde pode haver carência de oxigénio ou temperaturas demasiado elevadas, o que, em situações extremas, pode levar à morte por asfixia ou desidratação.

Quando se chega à habitação temporária, há que perceber, por onde o gato pode ter acesso ao exterior, no sentido de evitar fugas indesejadas. Depois de pouco tempo, o animal acabará por se adaptar à habitação.

No caso de não ser possível levar o gato de férias existem algumas soluções.

Actualmente é possível encontrar hotéis, para animais domésticos, que asseguram todos os cuidados, tais como aposentos, alimentação, higiene e carinho. Esta, ainda, não é uma opção muito económica, no entanto, com o número de espaços deste tipo a aumentar, os preços têm vindo a baixar. Por outro lado existem serviços especializados que oferecem apoio domiciliário.

Neste caso, o animal não sofre transtorno devido à mudança, mas pode estranhar o tratador. As organizações de defesa dos animais e veterinários têm informações concretas sobre ambos os serviços. Com o objectivo de reduzir os abandonos de animais de companhia, em 2003, foi criada uma nova solução, para a época de férias: uma campanha de intercâmbio de animais domésticos.

Esta é financiada pelos próprios donos dos animais, que criaram um fundo próprio. Assim, é certificada a segurança dos animais em períodos de ausência dos seus responsáveis. A troca pode ser feita na mesma altura, ou, se assim acordado, em épocas do ano diferentes.

Seja qual for a sua opção certifique-se sempre que o seu pequeno felino fica bem entregue e que faz tudo para que ele se sinta o mais confortável possível. Não se esqueça que os gatos são membros da família.

Tags: , , , ,

Comentários

Top